O que está procurando?

BLOG

Voltar

A dor crônica é um problema de saúde pública

É necessária uma visão biopsicossocial para um melhor entendimento e manejo do problema, afirma Ney Meziat Filho, D.Sc.

  • Mestrado e Doutorado

23/09/2021 por Leonardo Medeiros

Tempo de leitura: 2 min

A crença popular de que o corpo é frágil e precisa ser protegido é veiculada na mídia todos os dias. Isso fica muito claro quando se fala em dores lombares e cervicais que são, respectivamente, a primeira e a quarta maior causas de dias vividos com incapacidade no mundo. É comum vermos profissionais da saúde na TV e nas redes sociais alertando a população para tomar cuidado com a postura e com a maneira de se abaixar em tarefas do dia a dia.

 

👉 O Globo Aponta: UNISUAM é TOP 10 Universidades Particulares do Rio

 

Toda semana vemos reportagens sobre o text neck (pescoço de texto) como a principal causa de dor cervical. Mas será que essas crenças populares e de boa parte dos profissionais da saúde são apoiadas pela ciência? Para responder a essa pergunta, nosso grupo de pesquisa em dor musculoesquelética com alunos de Mestrado e Doutorado não mede esforços.

 

A dor crônica é um problema de saúde pública

Nossos primeiros estudos sobre o text neck mostraram que não existe associação entre a postura de flexão da cabeça olhando para a tela do celular e a dor no pescoço. Esse resultado fez com que o artigo fosse o 5º mais compartilhado da história da European Spine Journal, entre mais de 3000 artigos científicos. O nosso segundo estudo, com mais de 500 participantes — publicado na Spine no final de 2020 — reforçou os achados do primeiro estudo. Mas ainda não paramos. Estamos realizando uma pesquisa com o acompanhamento dos participantes por pelo menos um ano. Outro importante projeto é sobre a efetividade da Terapia Cognitivo-Funcional (TCF) nas dores lombares crônicas. A TCF é uma abordagem multidimensional biopsicossocial que integra princípios da neurociência e da psicologia comportamental com a prática da fisioterapia e que tem uma base científica teórica bastante robusta.

O nosso grupo de pesquisa da UNISUAM é um dos poucos grupos de pesquisa a realizar ensaios clínicos nessa área, no mundo. Existe uma grande expectativa em cima dos resultados dos nossos dois ensaios clínicos, cuja equipe de pesquisa foi composta por mestrandos, doutorandos e alunos de iniciação científica da UNISUAM. Os resultados provavelmente serão publicados até o final do ano. Outros ensaios clínicos testando a efetividade da TCF por teleatendimento de idosos com dor lombar crônica, TCF nas dores cervicais crônicas e TCF para mulheres com vaginismo terão início nos próximos meses.

 

Desenvolvimento Sustentável

Buscamos alinhar nossas pesquisas à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas, promovendo a saúde e o bem-estar, aliada à educação de qualidade dos profissionais de saúde envolvidos. Novos projetos alinhados à agenda de prioridades de pesquisa do Ministério da Saúde estão em fase de qualificação e todos eles têm algo em comum: uma visão multidimensional biopsicossocial baseada nas mais recentes evidências científicas.

(Agosto/2021)

Ney Meziat Filho, FT, DSc, é docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação da UNISUAM.

 

Vem ser UNISUAM e esteja pronto para o mercado!

MATRÍCULAS ABERTAS

Conheça o curso de Ciências da Reabilitação!

 

Por Leonardo Medeiros

Redator, Copywriter e Jornalista. Meus interesses se movem na órbita dos livros e da cultura. Dentre os amores, o café, a informação fresca e as boas conversas. "Seja a mudança que você deseja ver no mundo", Gandhi.

comentários

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
English French Portuguese Spanish